Brasil gasta 6% do PIB em educação, mas desempenho escolar é ruim

O Brasil gasta anualmente em educação pública cerca de 6% do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país). Esse valor é superior à média dos países que compõem a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), de 5,5%. No entanto, o país está nas últimas posições em avaliações internacionais de desempenho escolar, ainda que haja casos de sucesso nas esferas estadual e municipal. A avaliação é do relatório Aspectos Fiscais da Educação no Brasil, divulgado hoje (6) pela Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Fazenda.

Segundo o relatório, o gasto brasileiro também supera países como a Argentina (5,3%), Colômbia (4,7%), o Chile (4,8%), México (5,3%) e os Estados Unidos (5,4%). “Cerca de 80% dos países, incluindo vários países desenvolvidos, gastam menos que o Brasil em educação relativamente ao PIB”.

O relatório também mostra que como proporção das receitas da União, a despesa federal em educação quase dobrou sua participação, passando de 4,7% para 8,3% no período 2008 a 2017. Em proporção do PIB, a expansão passou de 1,1% para 1,8%. A despesa com educação apresentou crescimento acumulado real de 91% no período de 2008 a 2017, 7,4% ao ano, em média, enquanto a receita da União cresceu 6,7% em termos reais, descontada a inflação, 0,7% ao ano, em média.

Na principal avaliação internacional de desempenho escolar, o Pisa (Programme for International Student Assessment), o Brasil está nas últimas posições. Dos 70 países avaliados em 2015, o Brasil ficou na 63ª posição em ciências, na 59ª em leitura e na 66ª colocação em matemática.

O problema no Brasil, de acordo com o relatório, não está no volume dos gastos, mas na necessidade de aprimoramento de políticas e processos educacionais. “Apesar da forte pressão social para a elevação do gasto na área de educação, existem evidências de que a atual baixa qualidade não se deve à insuficiência de recursos. Tal observação não é específica ao Brasil, tendo em vista que já é estabelecida na literatura sobre o tema a visão de que políticas baseadas apenas na ampliação de insumos educacionais são, em geral, ineficazes”, diz o estudo.

Caso de sucesso

O estudo destaca ainda que mesmo no Brasil existem casos de sucesso, como o do Ceará, que obteve em 2015 o quinto melhor Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) nos anos iniciais do ensino fundamental, mesmo com um gasto inferior à média da própria Região Nordeste e à média nacional.

Em 2017, o Ceará aplicou R$ 3.589,95 por aluno na educação básica, ao passo que os demais estados da Região Nordeste aplicaram, em média, R$ 3.764,84. “Não obstante, o Ceará alcançou um Ideb de 5,7, enquanto a média dos demais estados da região foi de 4,4. Ressalta-se ainda que, em 2005, o desempenho do Ceará era de apenas 2,8, que o colocava somente na 18ª posição entre 27 estados”, diz o relatório.

“O desempenho do Ceará é ainda mais ilustrativo se comparado a um outro extremo, o Distrito Federal, que, mesmo com uma aplicação de recursos 134% maior ao primeiro, obteve um Ideb de 5,6, ligeiramente inferior ao do Ceará”, acrescentou.

Além disso, diz o estudo, o melhor Ideb municipal do Brasil, em 2015, foi o do município cearense de Sobral, que alcançou a nota média de 8,8 na rede pública, com uma despesa de R$ 3.091,38, a qual é inferior à média do próprio estado do Ceará e bastante inferior à média nacional de R$ 5.005,83.

 

 

Agência Brasil

Surtos de sarampo no Brasil: saiba mais sobre a doença

Pelo menos três estados brasileiros têm surtos confirmados de sarampo este ano. Amazonas e Roraima, juntos, contabilizam cerca de 500 casos confirmados e mais de 1,5 mil em investigação. No outro extremo do país, o Rio Grande do Sul também confirmou seis casos da doença este ano. Já o Rio de Janeiro investiga quatro casos – um deles com resultado preliminar positivo pra sarampo.

Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) o certificado de eliminação da circulação do vírus. A doença, entretanto, voltou a ser motivo de preocupação entre autoridades sanitárias em razão das baixas coberturas vacinais identificadas no país e por ser altamente contagiosa.

Em junho, países do Mercosul fizeram um acordo para evitar a reintrodução de doenças já eliminadas na região das Américas, incluindo o sarampo. Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile se comprometeram a reforçar ações de saúde nas fronteiras e a fornecer assistência aos migrantes numa tentativa de manter baixa a transmissão de casos.

Confira abaixo os principais tópicos sobre sarampo divulgados pelo Ministério da Saúde.

A doença

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmissível e extremamente contagiosa. Complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um 1 ano.

A doença é de distribuição universal e apresenta variação sazonal. Nos climas temperados, observa-se o aumento da incidência no período compreendido entre o final do inverno e o início da primavera. Nos climas tropicais, caso do Brasil, a transmissão parece aumentar depois da estação chuvosa.

O comportamento endêmico do sarampo varia de um local para outro e depende basicamente da relação entre o grau de imunidade e a suscetibilidade da população, além da circulação do vírus na área.

Sintomas

Os sintomas do sarampo incluem febre alta acima de 38,5°C; erupções na pele; tosse; coriza; conjuntivite; e manchas brancas que aparecem na mucosa bucal, conhecidas como sinais de Koplik e que antecedem de um a dois dias antes do aparecimento da erupção cutânea.

Diagnóstico

O diagnóstico laboratorial é realizado mediante detecção de anticorpos IgM no sangue na fase aguda da doença, desde os primeiros dias até quatro semanas após o aparecimento da erupção cutânea.

Transmissão

Ocorre de forma direta, por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Por isso, a elevada contagiosidade da doença.

A transmissão acontece de quatro a seis dias antes e até quatro dias após o aparecimento do exantema. O período de maior transmissibilidade ocorre dois dias antes e dois dias após o início da erupção cutânea.

O sarampo afeta igualmente ambos os sexos. A incidência, a evolução clínica e a letalidade são influenciadas pelas condições socioeconômicas, nutricionais, imunitárias e àquelas que favorecem a aglomeração em lugares públicos e em pequenas residências.

Prevenção

A vacinação contra o sarampo é a única maneira de prevenir a doença. O esquema vacinal vigente é de uma dose da vacina tríplice viral aos 12 meses e a segunda dose da vacina tetra viral aos 15 meses.

Pessoas com suspeita de sarampo, gestantes, crianças com menos de 6 meses e imunocomprometidos não devem receber a dose. A gestante deve esperar para ser vacinada após o parto.

Caso esteja planejando engravidar, a mulher deve se proteger contra a doença. Um exame de sangue pode dizer se ela já está imune ao sarampo. Se não estiver, ela deve ser vacinada antes da gestação e aguardar pelo menos quatro semanas para engravidar.

Tratamento

Não existe tratamento específico para o sarampo. É recomendável a administração da vitamina A em crianças acometidas pela doença, para reduzir a ocorrência de casos graves e fatais. O tratamento profilático com antibiótico é contraindicado.

Para os casos sem complicação, a orientação é manter a hidratação, o suporte nutricional e diminuir a hipertermia. Muitas crianças precisam de quatro a oito semanas para recuperar o estado nutricional que apresentavam antes da doença. Complicações como diarreia, pneumonia e otite média devem ser tratadas de acordo com normas e procedimentos estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

 

Agência Brasil

Iranduba e Corinthians empatam e mantém ponta no Brasileiro Feminino

O time do Iranduba empatou em 1 a 1 com o Corínthians de São Paulo na arena da Amazônia em jogo movimentado com dois gols anulados e duas expulsões.

O time do Corínthians abriu o placar no começo do segundo tempo com Millene e o Iranduba empatou em uma cobrança da falta de Priscila.

As duas equipes começaram a nona rodada do campeonato brasileiro feminino de futebol ocupando as primeiras colocações na tabela de classificação. Com o empate Corínthians vai aos 23 pontos no brasileiro e mantém sua invencibilidade de 26 jogos.

O time do Iranduba perdeu a oportunidade para avançar na tabela e segue de perto o líder com 20 pontos.

O primeiro tempo do jogo foi morno, com poucas oportunidades real para as equipes. Mas o segundo tempo o jogo ganhou em velocidade e emoção.

O gol do Corínthians nasceu aos 4 minutos do segundo tempo em um contra-ataque em que Nenê recebeu a bola na frente, driblou a goleira e foi derrubada e na continuação da jogada Millene marcou o gol.

Aos 35 minutos o Verdão chegou ao empate quando Priscila cobrou falta na entrada da área e contou com um desvio na barreira para bater a goleira Lelê.

A partida ainda teve dois gols anulados. Um para o Corinthias aos 38 minutos após rebote na cobrança de falta o árbitro Edmar da Encarnação apontou falta do ataque. O Iranduba teve gol anulado por impedimento.

Nos acréscimos o time do Iranduba a expulsão de Giovania, aos 49 minutos, e Brenda ao final do jogo.

Governo anuncia medidas para eliminar hepatite C até 2030

O governo federal anunciou hoje (5) um plano para eliminação da hepatite C no Brasil até 2030. Este tipo é o mais letal entre as diferentes modalidades da doença, resultando em 75% das mortes por complicações relacionadas ao vírus. Entre as medidas, estão a ampliação da oferta de diagnósticos, a disponibilização de mais tratamentos no Sistema Único de Saúde e a sensibilização da sociedade sobre a importância de fazer o teste rápido.

Segundo o Ministério da Saúde, desde 1999, mais de 1 milhão de pessoas tiveram contato com o vírus, que ainda circula em 657 mil delas. Os casos notificados são 331 mil, já confirmados por autoridades de saúde. Em 2017, foram registrados 24,4 mil casos da doença, número levemente menor do que em 2016, quando foram registrados 28,4 mil casos.

A hepatite C é considerada uma “doença silenciosa” pelo fato do vírus contraído poder se manifestar ou ocasionar doenças anos depois. Ela é transmitida por sangue contaminado (em transfusões, por exemplo), ao fazer sexo sem proteção ou pelo compartilhamento de objetos cortantes. O público mais vulnerável são os adultos acima de 40 anos. Quem contrai o vírus pode ter cirrose, câncer e morrer em decorrência dessas enfermidades.

Metas

Desde 2015, quando foi introduzido o tratamento chamado DAA, foram realizados 76,5 mil tratamentos. As estimativas do Ministério da Saúde mostram que, se considerados tratamentos anteriores, o número de pessoas imunizadas alcançou mais de 100 mil.

“Um primeiro passo é fazer uma busca ativa para chegar às pessoas que tiveram casos notificados, mas não foram tratadas”, afirmou a diretora do Departamento e Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, HIV/AIDS e das Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Adele Benzaken, na cerimônia de lançamento do plano.

Para isso, a intenção é ofertar anualmente 50 mil terapias entre 2019 e 2024. A partir daí, o objetivo é oferecer 32 mil tratamentos anuais até 2030. A expectativa do MS é reduzir a mortalidade em razão de doenças associadas à hepatite C em 65% até 2030.

Outras metas são ampliar o número de pessoas testadas e simplificar o diagnóstico. Neste ano, o objetivo é assegurar o exame para 9,5 milhões de pessoas. Em 2020, o ministério quer chegar a 15,3 milhões de pessoas testadas e em 2030, a 30 milhões. Para os diagnósticos, a estimativa é realizar 40 mil procedimentos deste tipo por ano entre 2019 e 2030.

De acordo com o Ministério, a testagem frequente vai mirar pessoas vivendo com o vírus do HIV, populações privadas de liberdade (como presos), transsexuais, homens homossexuais, trabalhadores do sexo, usuários de drogas e pacientes de diálise.

A recomendação é que o teste seja feito pelo menos uma vez na vida também por pacientes de diabetes, que passaram por transfusão antes de 1992, que fizeram tatuagem ou botaram piercing em locais não regulamentados, com antecedente de uso constante de drogas ou que tenham tido contato com parceiros sexuais portadores de Hepatite C.

Hepatite B

No caso da Hepatite B, o governo também anunciou mudanças. Esta modalidade teve 13,4 mil casos registrados em 2017 e é responsável por 21,8% das mortes por doenças decorrentes do vírus. O Ministério da Saúde anunciou a intenção de mudar o tratamento realizado em três etapas de 0, 1 e 6 meses para 0, 7 e 21 dias, com um reforço posterior.

 

Agência Brasil

UEA lança Editais do Vestibular e SIS 2018, acesso 2019

Os Editais do Vestibular e do Sistema de Ingresso Seriado (SIS) 2018, acesso 2019, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) foram apresentados nesta quarta-feira (4), em entrevista coletiva, realizada na reitoria da universidade, localizada na Avenida Djalma Batista, nº 3578, Flores.

O certame oferece um total de 5.337 vagas, incluindo 264 vagas para alunos indígenas e 340 vagas para Pessoa com Deficiência (PcD).

As inscrições para o Vestibular e SIS serão de 10 a 31 de agosto e deverão ser realizadas exclusivamente no portal da UEA (www.uea.edu.br). O período para o pagamento do Boleto Bancário vai de 10 de agosto a 3 de setembro. A solicitação de isenção do pagamento das taxas de inscrição também deverá ser realizada pelo portal da UEA, no período de 23 a 27 de julho.

Para o Vestibular são oferecidas 3.199 vagas, sendo 1.178 vagas para a capital e 1.662 vagas para o interior, além de 138 vagas para indígenas e 221 para PcD. O Edital do SIS dispõe de 2.138 vagas, sendo 785 vagas para a capital e 1.108 para o interior, além de 126 vagas para indígenas e 119 para PcD.

O reitor da UEA, Cleinaldo Costa, frisou que a proporção de vagas com maior número para o interior é estratégica e atende uma política institucional de interiorização do ensino e de desenvolvimento do Estado como um todo.

“A UEA vem trabalhado com atenção para identificar as demandas e necessidades de cada cidade do interior a fim de formar massa crítica capaz contribuir para o avanço socioeconômico estadual”, disse o reitor, destacando que a novidade desse certame está na oferta inédita do curso de Engenharia Civil e Bacharelado em Ciência da Computação, para algumas cidades do interior.

Provas do Vestibular e SIS

As provas do Vestibular acontecerão nos dias 21 (Conhecimentos Gerais) e 22 (Conhecimentos Específicos e Redação) de outubro, com início às 13h e fechamento dos portões às 12h50, horário de Manaus.

As provas do SIS ocorrerão no dia 23 de outubro, com início às 13h e fechamento dos portões às 12h50, horário de Manaus.

Provas de Habilidades Específicas

A Prova de Habilidade Específica – Prova Prática do Curso de Teatro, Dança e teórico-prática de Música acontecerá no dia 16 de setembro. As provas serão realizadas exclusivamente em Manaus.

 

Sobre a UEA. A UEA está presente nos 62 municípios amazonenses, através de cinco Escolas de Ensino Superior, seis Centros de Estudos Superiores, 13 Núcleos de Ensino Superior. As atividades acadêmicas da universidade iniciaram em agosto de 2001, em Manaus, Parintins e Tefé. Em quase 18 anos a UEA já está presente em todo o Amazonas e já formou mais de 44 mil pessoas na capital e interior.

 

Para ver os itens do edital, acesse o portal da UEA

Iranduba da Amazônia e Corinthians na Arena da Amazônia

Ocupando a vice-liderança do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino – Série A1, o Iranduba enfrenta a equipe do Corinthians – SP nesta quinta-feira (05/07), às 20h, na Arena da Amazônia, localizada na avenida Constantino Nery, bairro Flores, zona centro-sul de Manaus. A partida, que conta com o apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), é válida pela 9ª rodada da competição.

Com 19 pontos, a equipe amazonense está em segundo lugar na tabela do grupo 01, três a menos que o líder Corinthians – SP, que é quem irá enfrentar nesta quinta-feira (05/07). Em seu último duelo, o Iranduba venceu a equipe do Pinheirense – PA por 2 a 0, no Estádio Francisco Vasques, em Belém. Já o time paulista, venceu o conterrâneo Ferroviária, por 1 a 0, no Estádio Parque São Jorge, em São Paulo.

Para o técnico Adilson Galdino, o Iranduba está em uma boa fase e as atletas estão determinadas em conquistar mais uma vitória. “Fizemos, nesta manhã (04/07), atividades táticas de movimentações ofensivas e bolas paradas. A expectativa para cada jogo são sempre as melhores possíveis e queremos repetir os feitos dos últimos jogos. O time está evoluindo cada dia mais e queremos contar com o apoio do torcedor amazonense para ir ao estádio e torcer por nossa equipe, que irá enfrentar uma grande potência do futebol feminino nacional”, afirmou.Ex-jogadoras do Corinthians – SP, Amanda Brunner e Renata Costa irão enfrentar as antigas companheiras de equipe neste duelo. Para Amanda, que foi destaque na Seleção Brasileira no Mundial Sub-20, em 2012, e artilheira da Copa Libertadores pela equipe paulista, o objetivo já está traçado. “Todo jogo desta competição é importante e especial. Tenho um carinho muito grande pelo Corinthians, pois conquistei títulos importantes, como a Libertadores e Copa do Brasil, mas agora a situação é diferente. Esperamos fazer uma boa partida e conseguir os três pontos com a vitória”, destacou.

Renata foi vice-campeã nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, e em Pequim, em 2008. Além disso, foi campeã, em 2007, dos jogos Pan-Americanos, no Rio de Janeiro, sendo uma das jogadoras mais conceituadas do futebol brasileiro feminino. Pelo Iranduba, conquistou recentemente o título estadual.

Ingressos – As entradas para a partida estão sendo vendidas nos valores de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Até esta quinta-feira (05/07), das 9h às 18h, os pontos de venda serão as lojas Dumont (Av. Mandií, 3, Distrito Industrial) e Technos (Rua Mogno, 600, Distrito Industrial), e das 9h às 17h, na Boutique do Torcedor (Avenida Carvalho Leal, 1092 – Cachoeirinha) e na Arena Amadeu Teixeira (Avenida Constantino Nery, bairro Flores). Após às 17h do dia do jogo, os ingressos serão vendidos apenas na Arena da Amazônia.

Detran-AM extende prazo para regularização de licenciamento anual

Os donos de veículos no Amazonas terão agora mais 30 de dias de prazo para fazer o licenciamento anual junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM) sem a necessidade de o veículo passar por vistoria. A mudança foi anunciada pelo diretor técnico do Detran-AM, Rodrigo de Sá, e deverá facilitar a vida dos proprietários que, a partir de agora,  até o 31º dia de vencimento do licenciamento, estão livres da exigência de vistoria para recebimento do Certificado de Registro de Licenciamento Veicular (CRLV).
De acordo com Rodrigo de Sá, a vistoria reversa também vai beneficiar os donos de veículos com licenciamento em atraso há mais de 30 dias. Eles também poderão imprimir e pagar seus boletos a qualquer momento, através do portal de serviços do Detran-AM (digital.detran.am.gov.br) e terão dez dias de prazo, que é o tempo permitido para circulação com os protocolos pagos, para passar pela vistoria e então agendar o recebimento do CRLV.
Rodrigo de Sá explica que, atualmente, o dono de veículo em atraso com o licenciamento é obrigado a passar pela vistoria para que o sistema libere a emissão dos boletos de pagamento do licenciamento anual. Com a vistoria reversa, o proprietário poderá emitir e pagar as guias, num prazo de 30 dias após o vencimento do licenciamento, sem a necessidade de vistoria.
“O dono de um veiculo com placa de final 4, por exemplo, cujo prazo venceu no dia  30 junho, poderá fazer o licenciamento e receber o documento até o dia 30 de julho, sem a obrigatoriedade de ter que passar pela vistoria. Ou seja, somente a partir do 31º dia do vencimento é que será exigida a vistoria para recebimento do CRLV . Nesses casos, embora, o dono do veiculo possa emitir as guias de pagamento a qualquer tempo, ele só poderá retirar o novo CRLV após a realização da vistoria”, explica Rodrigo de Sá.  De acordo com dirigente, as demais consequências administrativas decorrentes ao atraso no licenciamento, como multas e juros, continuarão sendo cobradas.
Rodrigo de Sá destaca que o objetivo do Detran-AM é proporcionar maior comodidade  e facilidade aos donos de veículos que desejam se regularizar e ter a tranquilidade de circular na cidade com o veículo licenciado. “Com um prazo maior para se regularizar e sem ter que passar pela vistoria, os proprietários de veículos podem se planejar melhor e também licenciar seus veículos com maior facilidade”, afirma.